sábado, 30 de janeiro de 2016

Resenha: O escultor, Scott McCloud, Jupati Books (First Second)

País de Origem: EUA
Ano de Publicação: 2015
Ano da edição brasileira atual: dezembro/2015
Tradução: Érico Assis

Sinopse: David vai dar sua vida pela arte. Literalmente.
Após um acordo com a Morte, o jovem escultor obtém seu desejo de infância: esculpir o que quiser com as mãos nuas. Mas agora que só lhe restam 200 dias de vida, decidir o que criar é mais difícil do que ele pensava. Descobrir o amor de sua vida na penúltima hora não ajuda em nada. 




MINHA EXPERIÊNCIA DE LEITURA

Foi em um passeio à Livraria Cultura do Conjunto Nacional, em São Paulo, que eu li 'O Escultor'. Sentada ali mesmo no chão, mergulhei na poderosa narrativa gráfica de Scott McCloud, e me esqueci do mundo.

Um jovem escultor em busca de reconhecimento e completamente falido vê-se diante de uma oportunidade única: poder moldar o que quiser e como quiser com as mãos. Porém, como tudo na vida, isso tem um preço: ele viverá apenas 200 dias a partir do momento em que aceitar a oferta.

Um relato sobre nossas expectativas quanto à vida, nossos sonhos, frustrações, família, morte, legado, significado da existência e prioridades.

Comovente sem ser piegas, com personagens extremamente cativantes e uma estrutura de enredo sólida e fluida, 'O escultor' é um quadrinho dos mais maduros e inteligentes que já li.

Uma das coisas mais interessantes sobre a obra é que ela te dá um perspectiva diferente sobre o que é arte e o que significa ser um artista, as dificuldades que alguém que produz algo tão subjetivo enfrenta para ser compreendido, reconhecido e respeitado pela crítica e pelo público.



DESENHOS

Os traços são estilizados, sóbrios ou mais psicodélicos no momento certo, e os enquadramento dinâmicos e totalmente sintonizados com a história. Destaque para o azulado da colorização, que dá um tom ainda mais melancólico à história, e para o sombreamento, que dá uma maior profundidade e perspectiva para as cenas, especialmente àquelas em que o artista está esculpindo suas obras.







VEREDITO

Imperdível!

Nota:
5/5